sexta-feira, 23 de junho de 2017

Programação para Casa Amado e Saramago durante a FLIP de 2017



No ano em que comemora a sua primeira década de vida, a Fundação José Saramago estabeleceu uma parceria com a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP). Em conjunto com a Fundação Casa de Jorge Amado, com o apoio do Ministério da Cultura de Portugal e da Companhia das Letras, e a colaboração da Delta e da Adega Mayor, a FJS terá um espaço próprio na 15ª edição do principal evento literário do país.

Durante os dias da FLIP, a Casa Amado e Saramago, localizada no centro histórico de Paraty, oferecerá uma ampla programação com apresentações de livro, mesas redondas, concertos, sessões de leitura e exposições*.

27 de julho – Quinta-feira
10h – Abertura da Casa Amado e Saramago
Boas-vindas com um café português: abertura da exposição de fotos de Jorge Amado e José Saramago e da exposição de xilogravuras de J. Borges para o conto “O Lagarto”, por Sérgio Machado Letria, diretor da Fundação José Saramago


10h30 – Dois corações vermelhos 
Conversa entre Lilia Schwarcz, Paloma Amado e Pilar del Río sobre os universos literários, ideológicos e afetivos de Jorge Amado e José Saramago


15h – O sabor da palavra liberdade
Andrea Zamorano, “A Casa das Rosas”, e José Eduardo Agualusa, “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários”, falam destes seus mais recentes livros – moderação de Francisco José Viegas


16h30 – Uma viagem até ao Alentejo de Peixoto e de Saramago
José Luís Peixoto, autor de “Galveias”, num passeio pelo espaço literário do Alentejo de Saramago, Vergílio Ferreira, Fernando Namora, Manuel da Fonseca e Almeida Faria


18h – O que quer o que pode essa língua?
Uma conversa sobre as dificuldades de publicar em português do outro lado do Atlântico. Com Bárbara Bulhosa, Francisco José Viegas e Julia Bussius – moderação de Ricardo Viel


28 de julho – Sexta-feira
10h30 – Escreva e lute como uma mulher 
Adelaide Ivanova e Djaimilia Pereira de Almeida conversam sobre literatura e feminismo nos dias de hoje – moderação de Schneider Carpegianni


15h – Revisitar os clássicos
Frederico Lourenço é entrevistado por Anabela Mota Ribeiro


17h – Em teu ventre
José Luís Peixoto conta o processo de construção do seu romance “Em teu Ventre”, sobre o fenómeno de Fátima, num encontro com a editora Julia Bussius


19h30 – Uma amizade em cartas
Apresentação do livro “Com o mar por meio. Uma amizade em cartas – Jorge Amado e José Saramago”. Com Paloma Amado, Pilar del Río e Luiz Schwarcz


21h – Antigamente aqui era o mar
A cantora Lívia Nestrovski e o guitarrista Fred Ferreira apresentam um concerto inspirado nas cartas e nos livros de Jorge Amado e José Saramago


29 de julho – Sábado

10h30 – O dever de exigir
Luiz Eduardo Soares, José António Pinto Ribeiro debatem sobre Direitos e Deveres Humanos na sociedade atual – moderação de Pilar del Río


15h – Invisível centena
Lançamento do catálogo “Intelectuais Negras Visíveis” com Amanda Sanches (UFRJ), Giovana Xavier (UFRJ),  Janete Santos Ribeiro (ISERJ) e Núbia Santos (UFRJ) – apresentação por Djamila Ribeiro


17h – O que se vê, o que se sente
Ana Kiffer, Giovana Xavier e Joana Gorjão Henriques numa conversa sobre racismo e empoderamento – moderação de Anabela Mota Ribeiro


19h – Como se fosse a casa
Lançamento do livro de poemas “Como se fosse a casa”, de Ana Martins Marques e Eduardo Jorge


20h30 – Roçar a língua de Luís de Camões
Sessão de leitura de poesia com vários autores


21h30 – Sobre o mar : Ondjaki e Marcello Magdaleno
Encerramento da casa com música e poesias(s) de Angola, Portugal e Brasil (com escrita ao vivo), e um copo de vinho português


* Programação divulgada pela FJS; sujeito à alteração


segunda-feira, 19 de junho de 2017

61ª edição da Revista Blimunda



Um número para celebrar e recordar. A Revista Blimunda de junho comemora os seus 5 anos de vida e os 10 anos da Fundação José Saramago, e homenageia José Saramago quando passam 7 anos desde o dia em que deixou de estar, como costumava definir a morte. Entre essas datas, outra se interpõe: o aniversário dos 50 anos da publicação de Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez. Para marcar a data a revista traz um texto do jornalista e escritor António Mega Ferreira sobre esse monumento literário que marcou o panorama das letras mundiais.

No passado dia 26 de maio, Pilar del Río recebeu em Madrid, na Biblioteca Nacional de Espanha, o Prêmio Luso-Espanhol de Arte e Cultura. A seção Saramaguiana recupera o discurso lido na cerimônia pela Presidenta da Fundação José Saramago, juntando-lhe um breve texto, também de sua autoria, sobre os sete anos sem José Saramago. 

Para baixar a edição, clica aqui.



segunda-feira, 5 de junho de 2017

Uma edição copia as correspondências entre José Saramago e Jorge Amado



A amizade entre Jorge Amado e José Saramago teve início quando os dois já tinham idade mais avançada e consolidada carreira literária, porém o vínculo tardio não impediu que os escritores formassem um laço forte, estendido as suas companheiras, Zélia e Pilar. Com o mar por meio. Uma amizade em cartas reúne a correspondência entre os dois mestres — e os dois casais, muitas vezes —, entre os anos de 1992 e 1998. São cartas, bilhetes, cartões e faxes com uma rica troca de ideias sobre questões tanto da vida íntima como da conjuntura contemporânea, sobretudo a cena literária. Um complemento às muitas das conversas trazidas pelo próprio Saramago em seus diários. Eles debatem com humor sobre prêmios e associações de escritores, com especulações divertidas sobre quem seria, por exemplo, o próximo a ser contemplado com o Nobel ou o Camões. Com um projeto gráfico especial, ilustrado com facsímiles das missivas e belíssimas fotos do acervo pessoal dos autores, a edição da Companhia das Letras aproxima os leitores do universo particular dos dois amigos. No blog Letras in.verso e re.verso alguns facsímiles da edição: aqui.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

60ª edição da Revista Blimunda



Atenção, leitores! A Fundação José Saramago divulga mais um número da Blimunda. Este mês a revista visitou, em Hong Kong, a exposição Kung Fu. Art. Live, sobre a vida de Bruce Lee. Sara Figueiredo Costa conta o que viu sobre o “tranquilo e infalível”, pensando em Caetano, mestre das artes marciais. Alberto Salcedo Ramos é um dos maiores expoentes de um movimento que ficou conhecido na América Latina como o dos “novos cronistas”. De passagem por Lisboa, o jornalista colombiano explicou a Ricardo Viel os segredos de uma boa reportagem. No começo de maio, em Atenas, centenas de pessoas reuniram-se no auditório Stoa Tou Biblio para celebrar a língua portuguesa. Entre elas estavam Pilar del Río, Presidenta da Fundação José Saramago, e a tradutora Athina Psilias, responsável pela tradução da obra do autor de Memorial do Convento para o grego. Na coluna Saramaguiana a Blimunda reproduz os textos lidos durante a sessão.

Para baixar a edição, clica aqui.


sexta-feira, 12 de maio de 2017

Distinção para "O lagarto"



O lagarto foi publicado no Brasil em outubro de 2016 e em Portugal um mês antes. A obra que une as palavras de José Saramago às xilogravuras do artistas brasileiro J. Borges foi premiada pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) na categoria Literatura em Língua Portuguesa. O prêmio em sua 43ª edição escolhe as melhores obras voltadas ao público infantil e juvenil, publicadas no Brasil durante um ano. 

O lagarto foi escrito por José Saramago no começo da década de 1970 e logo fez parte do livro A bagagem do viajante. E no ano em que foi transformado em conto já havia sido premiado no Brasil com o Selo Cátedra 10, da Cátedra Unesco de Leitura da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO).

Quando publicado em Portugal, realizou-se uma exposição com as xilogravuras de J. Borges. Meses depois o cineasta Miguel Gonçalves Mendes filmou a leitura do texto realizada pela cantora Adriana Calcanhotto. 



O Lagarto from JumpCut on Vimeo.